quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Chuva, jazz e cerveja

 
Praga é bela, mesmo cinzenta e fria. Contudo, fomos forçados pela chuva a permanecer mais tempo em ambientes secos e aquecidos, como bares ou museus. Na verdade, mais bares que museus. Reencontrei minhas deliciosas, douradas ou negras, Staropramem, Urquell e Budvar. Descobri Bernard, talvez a melhor de todas.
Eu lembrava de uma cerveja que tomei em 2005 chamada Velvet. Procuramos pelos bares centrais e nada. Supermercados, cervejarias e nada. Recorri ao google e descobri que outros tiveram a mesma dificuldade e que a haviam encontrado em um bar de jazz do outro lado do rio. Velvet cada vez mais underground, diagnosticou a Úrsa.


No mais, curtimos Praga em seus pequenos detalhes. Paguei 185 coroas por uma bunda (casaco, em tcheco). Assitimos a um trio de jazz para um trio de espectadores. Comi porcos e patos assados com batatas. Úrsa virou vegetariana, movida por salmões. Tudo isto com ótimas cervejas, chuva e frio. Chuva em Praga parece praga. Que venham os países bálticos.


PS: a PROMOREKA continua valendo no post abaixo até sexta-feira.

3 comentários:

  1. Fofos.

    Vocês falando de Praga e eu me lembro que foram aí as locações de Neblina e Sombras, do Woody Allen. Uma coisa bem medieval. Quando eu passeava no Bairro Gótico de Barcelona tive a mesma lembrança.

    ResponderExcluir
  2. Ei, Caramujos.

    E pro Franz K., nada?

    ResponderExcluir
  3. Marquinho, ainda não vi esse filme. Boa dica. Boa também a dica do bairro gótico em Barcelona. Anotado e um dia quem sabe, aqui no eurekers.

    Bevilaqua, tentamos ir na cola do Kafka, mas a rua em que ele morou estava em Processo de Metamorfose. Praga ficou nos devendo mais essa.

    beijos,
    Eurekers

    ResponderExcluir